[ARTIGO] O CheckList para sua primeira audiência – AdvogaApp

 

O primeiro processo de sob a responsabilidade única e exclusiva de um advogado que está iniciando sempre pode causar alguns sintomas: calafrios, dores abdominais, sudorese e sentimento de impotência. Esses sintomas podem estar ausentes no momento da assinatura do primeiro contrato de honorários, instante de felicidade extrema e sentimento de riqueza sem fim. Certamente os primeiros sintomas citados serão notados ao protocolar a primeira petição e durante a espera do primeiro despacho do juiz com relação ao caso.

Contudo, nada se compara ao que sentimento de estar no corredor de espera. aguardando a primeira audiência. É como se você estivesse em um corredor para ser atirado aos leões. Muitos profissionais iniciantes se sentem tranquilos nas situações descritas, mas alguns, e não são poucos, sentem-se nervosos.
Claro que, mesmo sendo iniciante na carreira, você não pode dar espaço ao amadorismo. Por isso, há algumas dicas para que se esteja SEMPRE um passo à frente e encarar de forma positiva a primeira audiência:

1. Converse com seu clientes
É preciso uma boa conversa com seu cliente e para entender as minúcias do caso, afinal de contas você não pode ser pego de surpresa por não saber de algo acerca da pessoa ou do caso que representa. Pelo novo rito do Código de Processo Civil (CPC) você passará por uma audiência de conciliação. Então entender o caso a fundo e seu cliente pode fazer você perceber que uma conciliação pode sim ser benéfica e, se tudo correr bem, você já terá sua primeira vitória. No contrário, você também pode chegar à conclusão de que uma conciliação não cabe ao caso, não sendo interessante para seu cliente, pois não resolveria o problema. É necessário saber onde se está pisando para poder instruir bem o caso.

2. Conheça o processo
Conhecer o processo previamente é básico. Se você foi constituído desde o início, faça carga e estude o processo antes da audiência, conheça o rito e todas as suas peculiaridades. Se foi constituído de última hora, há duas possibilidades: ou você pede acesso ao processo assim que for contratado ou, a depender da situação, chega à sala de audiências antes do horário determinado para a realização da sua e solicita acesso ao processo ali mesmo, no gabinete ou na própria sala de audiências. Lembre-se que alguns ritos, nas mais diversas áreas, exigem defesa oral da parte. Ou seja, na própria audiência tem de dar seu parecer sobre o caso até o momento e realizar seus pedidos. Então tenha sempre em mãos os modelos que se adequem aos diversos ritos que poderá enfrentar. Assim, no momento de se manifestar, é só moldar o modelo ao caso.

3. Instrua seu cliente
É necessário instruir seu cliente referente ao que vai e ao que pode acontecer em audiência. Seja firme e simples ao conversar, lembrando que está falando com seu cliente e não com um aluno da faculdade de direito. Deixe de lado as palavras rebuscadas e o latim jurídico.

4. Esteja ciente de suas prerrogativas como advogado

LEIA o Estatuto da Ordem antes de começar a advogar. Você tem o direito de:

  • Ingressar livremente nas salas e dependências de audiências;
  • Permanecer sentado ou em pé e retirar-se da audiência, independentemente de licença;
  • Usar da palavra, pela ordem, em qualquer juízo ou tribunal, mediante intervenção sumária, para esclarecer equívoco ou dúvida surgida em relação a fatos, documentos ou afirmações que influenciem no julgamento, bem como para replicar acusação ou censura que lhe forem feitas;
  • Falar, sentado ou em pé, em juízo, tribunal ou órgão de deliberação coletiva da Administração Pública ou do Poder Legislativo e;
  • Retirar-se do recinto onde se encontre aguardando pregão para ato judicial, após trinta minutos do horário designado, e ao qual ainda não tenha comparecido a autoridade que deva presidir a ele, mediante comunicação protocolizada em juízo.

5. Conquiste seu espaço
Seja cordial e respeitoso, você está em audiência representando uma das partes, então lembre-se que não tem nada a ver com você, não sendo necessário “tomar” as rixas alheias para si. Peça a palavra se achar que deve se manifestar fora da sua ordem, questione se tiver dúvidas e solicite a inclusão de informações se acha que devem estar na ata da audiência. Você está em uma solenidade e não em um campo de batalhas (muito embora algumas vezes pareça). Assim, não trate as demais pessoas como seus inimigos, apenas seja cordial e se imponha de maneira respeitosa quando se fizer necessário.

Prepare-se e BOA SORTE, acredite, você sabe o que deve ser feito e irá fazer!

 

Texto: Marília Vargas
Edição: Jonnathan Tibes