[ARTIGO] Se você está procurando um advogado, é bom ler o que temos para te contar

 

Contratar um advogado não é a tarefa mais fácil com a qual irá se deparar, mas também não é o quadro caótico que muitos pintam.

O difícil pode ser saber qual especialização do profissional que você precisa, se o preço que oferecem é justo, se o profissional é sério e dedicado, entre outros fatores. Mas para todas estas questões, há solução e mecanismos dos quais pode se utilizar antes de tomar sua decisão. Logo, não se está frente a um problema.

O direito é dividido em várias linhas, digo, cada questão se enquadra em uma natureza: podemos falar em direito consumerista, civil, penal, trabalhista, tributarista ou uma das outras tantas searas existentes. Este é o primeiro tópico com o qual deve lidar para saber que tipo de advogado precisa. Para facilitar, caso seja um problema simples, existem os profissionais generalistas, que atuam um pouco em todas as áreas.

Depois de encontrar um advogado e apresentar a situação de conflito a ele, quais os caminhos serão seguidos e quais “armas” serão utilizadas no ataque do problema, chega a tão temida hora de se combinar os honorários.

Reza a lenda popular que todo advogado particular é muito caro e quase impossível de se pagar.

Também, reza a lenda jurídica de que os valores de honorários não são revistos há muito tempo e não cobrem os gastos e dispêndios que um processo demanda.

Realizando uma média entre as duas realidades distintas, chegamos à conclusão de que o percurso que um profissional percorre até chegar o ponto de estar apto a solucionar as questões de seus clientes não é um caminho fácil e nem um pouco barato. Muitas vezes, se leva cinco minutos para apresentar a solução de uma questão, mas para dar essa resposta em cinco minutos, você pode ter certeza que esse profissional carrega noites e noites mal dormidas e de muito estudo nas costas, bem como dias exaustivos de trabalho adquirindo experiência e inúmeros finais de semana em que foi preciso abdicar do convívio com a família para, novamente, se debruçar em livros e casos da vida real.

“Ok, mas, ainda assim, como saberei que o valor que me apresentam é o justo a se pagar?”

Simples, a OAB de cada estado (Seccionais) possui a tabela de honorários vigente para os advogados atuantes naquele estado, ou seja, nesta tabela se encontram os preços MÍNIMOS que um advogado DEVE cobrar por suas atividades, por isso se o profissional que você está pensando em contratar cobrar o que está ali, ele está trabalhando de maneira correta. Se estiver cobrando valores abaixo de tabela, já começamos mal, pois a cobrança abaixo do mínimo é considerada captação indevida de clientela e é uma postura totalmente antiética. Se o profissional da sua escolha estiver cobrando honorários acima dos valores fixados em tabela, é possível questionar a ele mesmo, pois existem diversos fatores que podem elevar os valores fixados e neles estão incluídos o renome do profissional ou escritório de sua escolha.

Para fechar a questão dos honorários, lembre-se que, na grande maioria dos casos, os ganhos que um bom profissional pode te proporcionar são sempre muito maiores que qualquer honorário pago!

Dentre os outros diversos fatores que influenciam na escolha de um advogado, é necessário conhecer a reputação do profissional. Saber se ele é sério, se trata suas questões com cautela, se é atencioso com o cliente, enfim, como é sua postura enquanto advogado.

Para que se possa escolher um profissional com cuidado e tranquilidade existem diversos meios, desde pesquisar suas páginas nas redes sociais mais voltadas ao trabalho como o Linkedin ou até mesmo o Facebook. Você pode se valer ainda da OAB de sua cidade, que poderá disponibilizar a lista de advogados ativos na comarca.

Se você busca ainda mais facilidade com uma busca certeira, aplicativos como o Advoga App podem ser a chave para o essa questão. Nestes aplicativos, você pode filtrar sua busca por cidade, atividade a ser realizada e área de atuação. Escolhendo o profissional, pode contatá-lo via chat.

É sempre bom lembrar que, mesmo havendo a possibilidade de contatar seu advogado via chat no aplicativo, a relação advogado cliente deve ser próxima e baseada na lealdade e confiança, por isso nada impede que realizem o primeiro contato via chat, mas este deve ser voltado às tratativas no primeiro encontro pessoal de vocês. Neste encontro sim, poderão conversar sobre a causa e também servirá para que se conheçam e combinem as demais questões.

Nunca esqueça: a relação pessoal advogado/cliente, ao menos nos primeiros encontros, é fundamental, se utilize da tecnologia para acertar detalhes menos importantes ou envio de documentos.

 

Texto: Marilia Vargas – OAB/RS 98.472