Correspondência Jurídica: conheça os motivos pelos quais você deve lançar mão desta área do mercado

Para ser um advogado você deve, primeiro formar-se em uma faculdade de direito, sendo bacharel você deve então ser aprovado na OAB, a partir daí é só sucesso, certo? Errado!

A partir do momento em que você é oficialmente um advogado é que a batalha por trabalho começa. Na faculdade te ensinam muito sobre muitas áreas do direito, aprendizado que é indispensável e de suma importância para que você seja um bom profissional, mas o que esquecem de te contar é que, além de ser um bom profissional jurídico, você deve ser também empreendedor!

Saber como captar clientela, como fomentar o boca a boca que trará novos cliente até você é fundamental para ter sucesso na advocacia.

 

 

Por algum lugar você tem que começar e a correspondência jurídica pode ser o melhor caminho. Aqui vão alguns motivos pelos quais estamos te dizendo isto:

 

  • Como correspondente você vai conseguir angariar visibilidade e reconhecimento profissional com mais rapidez, vai turbinar sua carreira e conseguirá estabelecer contatos com outros advogados e escritórios, aumentando o networking tão fundamental nesta função;

 

  • Na advocacia se tem meios bem limitados de marketing, então você pode se utilizar da correspondência jurídica como uma alternativa de marketing espontâneo, eficiente e barato, dentro dos limites impostos pela OAB. O correspondente que realiza bons trabalhos cria excelente reputação entre seus clientes, que contarão com ele como profissional de apoio fixo para realizar suas demandas e diligências, bem como o indicarão para seus colegas que também estejam com a mesma necessidade;

 

  • Se você está começando, renda é uma palavra que causa preocupação. Atuando como correspondente você passa a auferir lucro proveniente de trabalhos jurídicos. Sempre lembrando que se você é bacharel ou advogado, tanto faz, arbitrar honorários dignos é tarefa de todos que atuam na área. Se você delimitar ou aceitar um valor ínfimo para executar uma tarefa, você estará prejudicando não só a si mesmo, como aos demais profissionais da área. A busca por honorários dignos é uma luta da OAB e deve ser sua também, afinal de contas você é um profissional autônomo, depende dos rendimentos do seu trabalho e não estudou pouco para realizar suas atividades, por mais simples que elas sejam ou pareçam.

 

  • Experiência é um quesito muito importante no seu currículo e mais uma vez a correspondência é um mecanismo que te dá a liberdade de consegui-la por si mesmo. Como correspondente você delimitará qual seu tipo de atuação e em quais áreas você atua. Aos poucos, vai angariando experiência no mercado da advocacia de apoio e no mercado jurídico como um todo, pois quanto mais você exerce a função, mais consegue saber como se comporta a máq uina pública, o que inclui os juízes de cada vara, os servidores dos fóruns, o que torna o seu trabalho muito mais confortável e fácil, além de lhe conferir vantagem em relação a outros profissionais.

 

  • A flexibilidade de horários é outra característica desta área, pois você faz a sua agenda, sempre lembrando que a observação de prazos e a execução de um serviço rápido e de excelência é sempre um diferencial positivo.

Enfim, atuar como corresponde só traz benefícios para sua carreira, sendo uma forma democrática de tornar você um profissional mais experiente e capacitado nas mais diversas áreas de atuação. Ainda não é um correspondente jurídico?

 

– Conheça nossa plataforma: AdvogaApp para Android ou AdvogaApp para iOS