Os cuidados que devem ser tomados ao contratar um correspondente

O advogado correspondente é figura cada vez mais presente e necessária no mundo jurídico, pois é a atual peça chave que mescla economia e traz bom desempenho aos escritórios, tendo assim um ótimo custo-benefício. Com um simples passo, os escritórios conseguem expandir suas áreas de atuação para qualquer local do país.

Ainda assim, muitos escritórios enfrentam dificuldades no momento da escolha de um bom profissional para representá-los. Pensando nisso, aqui vão algumas dicas de como contratar um advogado correspondente com segurança para realização das suas demandas:

 

  • Onde encontrar o correspondente?

 

Você pode entrar em contato com a OAB do local onde sua demanda deve ser executada. O órgão é, por óbvio, a grande referência de atuação social e de atendimento efetivo aos advogados de todo o Brasil.

A desvantagem de consultar as OABs para encontrar um correspondente é que não há critério de indicação. Ao indicar um profissional qualquer para a demanda existe uma grande probabilidade de que ele não seja o mais adequado para realizar o trabalho.

Atualmente o local mais apropriado para se buscar um correspondente é na internet, em sites especializados e, é claro, em aplicativos.

Neste caso há a vantagem de que se pode consultar indicações de outros profissionais que já trabalharam com aquele correspondente, bem como pode analisar ponto a ponto o perfil de cada um para avaliar qual mais se encaixa com o que você procura.

Estes sites e aplicativos especializados neste tipo de aplicabilidade investem em tecnologia com o fim de conferir celeridade à prática forense e reduzir custos na execução de atividades, facilitando o dia a dia do advogado na busca por correspondentes jurídicos.

 

  • O que checar para a contratação

 

Você precisa encontrar mais que um correspondente, você precisa encontrar o correspondente ideal ao seu tipo de demanda. Por isso, deve analisar o perfil do profissional e verificar se ele realmente é uma boa escolha. Afinal, este correspondente será responsável por representar o seu escritório na realização de diligências e, portanto, não deve cometer erros.

Honorários condignos: as diligências são diferentes umas das outras. Elas se diferenciam em graus de complexidade e, por isso, cada profissional, a depender do seu estágio (iniciante ou especialista), se enquadra, mais ou menos, na execução destas. Assim, se o perfil tem uma avaliação muito boa e o valor do serviços é muito baixo, sem corresponder a essa qualificação, fique de olho: o currículo pode não ser totalmente verídico ou o profissional pode estar praticando aviltamento de honorários, o que é totalmente proibido pela OAB.

Abertura à negociação e boa comunicação: a negociação de honorários faz parte do cotidiano dos advogados e ter jogo de cintura é imprescindível! Um correspondente jurídico que já possui prática em negociar seus honorários, terá flexibilidade neste assunto, aceitando envio de contrapropostas ao valor estipulado inicialmente. Assim, antes de contratar um advogado correspondente saiba que, se o profissional for aberto a negociações, provavelmente será difícil chegar a um acordo que seja bom para ambas as partes.

Considere se o profissional apresenta boa comunicação e acessibilidade pelos vários meios disponíveis: telefone, e-mail, aplicativo de mensagens, etc.

Lembre-se que uma boa comunicação afina o modo de atuação do profissional de acordo com o perfil do escritório. Se ela não for satisfatória, pode ser que ocorram problemas que prejudiquem a parte e o bom andamento processual, a depender da demanda que será executada!

Ética e Qualificação: A OAB tem como esteio seu Código de Ética que é bastante claro sobre os deveres do advogado. Um dos principais deveres de um profissional deste meio (e de todos os outros, diga-se de passagem) é atuar com ética. Se você vai contratar um advogado que irá representar seu escritório em outras comarcas, não abra mão da ética! Lembre-se que este profissional ficará vinculado ao trabalho de seu escritório, assim qualquer conduta fora dos trilhos poderá causar prejuízos igualmente para sua imagem e reputação.

Cuide sempre a qualificação do profissional que você irá possivelmente contratar. Um profissional que não possua qualificação e indicação suficiente pode colocar a perder todo o esforço investido no processo de seu cliente, além de ser extremamente prejudicial para sua reputação.

Lance mão de sites como LinKedIn e demais sites de relacionamento, eles poderão nortear sua escolha, pois trazem informações sobre quem você está contratando.

Dedicação e Empenho: o profissional que você irá contratar deve deixar claro o quão comprometido é com as responsabilidades que assume e que possui total empenho para alcançar os resultados almejados por terceiros, pois aquela velha máxima é ainda muito atual: se você tem cuidado com seus problemas, deve ter o dobro de cuidado com os problemas alheios. Assim, aquele que não mede esforços para ter um bom desempenho profissional, é o profissional que está no topo!

O êxito na prestação dos serviços que lhes são confiados está diretamente ligado com a atenção e empenho ao cumprimento dos prazos processuais, pois a advocacia, mais do que qualquer outra profissão, trata diariamente com vários prazos processuais que nos são fatais, assim, caso não forem observados, impedem a prática da diligência.

Por fim, vê-se que a contratação de um advogado correspondente exige alguns cuidados mas que ao final serão de grande valia, pois assim não se terá mais problemas a resolver. Por isso, ao contratar um correspondente jurídico, lembre-se das nossas dicas!

 

Texto: Marilia Vargas

Edição: Jonnathan Tibes