Servidores recebem capacitação em Justiça Restaurativa

 

Ao todo, 35 profissionais com formação em psicologia, pedagogia, serviço social e direito e que atuam como agentes na Subsecretaria de Atendimento às Medidas Socioeducativas (SUASE) nos centros socioeducativos de Belo Horizonte participam nesta semana, de 15 a 19 de julho, na Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes (Ejef) do curso de formação de agentes para atuar com Justiça Restaurativa.

A Justiça Restaurativa é uma técnica de solução de conflitos que adota práticas diversas para levar um litígio ao fim, envolvendo infrator/agressor e vítima no processo. A meta é resolver outras dimensões do problema que não apenas a punição. Nessa linha, por exemplo, está a reparação de danos emocionais causados à vítima. O ofensor é apoiado para que consiga compensar os danos que causou.

Todas as atividades do curso são realizadas em círculos para priorizar a comunicação oral e o olho no olho – Foto: Cecília Pederzo/TJMG

As atividades do curso são coordenadas pelo pesquisador e facilitador de Justiça Restaurativa, Lucas Jerônimo Ribeiro. Outras três turmas já participaram do curso e há um agendamento de datas para mais duas em 2019. Lucas Jerônimo explica que as aulas serão ministradas com os participantes agrupados em círculo, com muitas atividades práticas que simulam fatos verídicos.

“Esperamos que os participantes saiam daqui como agentes de Justiça Restaurativa, tenham conexão e empatia entre si, saibam trabalhar com comunicação não violenta, com a teoria de proteção integral à criança e ao adolescente e de círculos de construção de paz”, reforçou.

 

*Com informações do CNJ.